.

SÊ A MUDANÇA QUE QUERES VER NO MUNDO!
.
.

Fiz-te a Ti

Publicada por Observador@


Um homem que passeava pelo bosque viu uma raposa que tinha perdido as patas, pelo que o homem se interrogava como podia sobreviver. Então viu chegar um tigre que trazia uma presa na boca. O tigre já se tinha saciado e deixou o resto da carne para a raposa.
No dia seguinte, Deus tornou a alimentar a raposa por meio do mesmo tigre.
O homem começou a maravilhar-se com a grande bondade de Deus e disse de si para si:
- Vou também eu ficar aí em qualquer lugar, confiando no Senhor e Ele me dará tudo o que eu precisar.
Assim o fez durante muitos dias. Mas não acontecia nada.
O pobre homem estava quase às portas da morte, quando ouviu uma voz que lhe dizia:
- Ó tu, que te achas no caminho do erro, abre os olhos à verdade. Segue o exemplo do tigre e deixa de imitar a pobre raposa mutilada.
Daí a nada, viu uma menina quase gelada e tiritando de frio, com um leve vestidito e poucas perspetivas de conseguir comida decente. Encolerizou-se e disse a Deus:
- Porque permites estas coisas? Porque não fazes nada para as resolver?
Durante um bocado, Deus guardou silêncio. Mas, naquela noite, de improviso, respondeu-lhe:
- Com certeza que fiz alguma coisa. Fiz-te a ti.

 
(do livro “Parábolas Como Setas”, de Manuel Sánchez Monge)

Filosofia de Vida

Publicada por Observador@

Um professor, durante a sua aula de filosofia, sem dizer uma palavra, pegou num frasco de maionese, esvaziou-o e, de seguida, encheu-o com bolas de golfe. A seguir perguntou aos alunos se o frasco estava cheio. Os estudantes responderam que sim. Então o professor pegou numa caixa cheia de caricas e meteu-as no frasco de maionese. As caricas encheram os espaços vazios entre as bolas de golfe. O professor voltou a perguntar aos alunos se o frasco estava cheio e eles voltaram a dizer que sim.
Então, o professor pegou numa caixa cheia de areia e esvaziou-a para dentro do frasco de maionese. A areia encheu todos os espaços vazios e uma vez mais o professor voltou a perguntar se o frasco estava cheio. Nesta ocasião os estudantes responderam em uníssono "Sim!".
De seguida o professor acrescentou 2 taças de café ao frasco e o café preencheu todos os espaços vazios entre a areia. Os estudantes nesta ocasião começaram a rir, mas repararam que o professor estava sério e disse-lhes:
Quero que todos compreendam que este frasco representa a Vida”.
As bolas de golfe são as coisas importantes: a família, os filhos, a saúde, os amigos, tudo o que nos apaixona. São coisas, que mesmo que se perdêssemos tudo o resto, as nossas vidas continuariam cheias.
As caricas são as outras coisas que importam: o trabalho, a casa, o carro, etc.
A areia representa as pequenas coisas da vida.
Se pomos 1º a areia no frasco, não haverá espaço para as caricas nem para as bolas de golfe. O mesmo acontece com a Vida”.
Se gastássemos todo o nosso tempo e energia nas coisas pequenas, nunca teríamos lugar para as coisas realmente importantes.
Ocupem-se primeiro das bolas de golfe, das coisas que realmente importam. Estabeleçam prioridades, o resto é só areia...
Um dos estudantes levantou a mão e perguntou o que representava o café.
O professor sorriu e disse: "...o café é só para vos demonstrar que mesmo que a vossa vida esteja ocupada, sempre haverá espaço para um café com um amigo."

Valorizando As Diferenças!

Publicada por Observador@

Certa vez, um camião enorme ficou preso debaixo de uma ponte com pouca altura. A diferença era mínima, mas todo o tráfego ficou paralisado enquanto o motorista tentava arranjar uma solução. Haveria menos estragos se fosse para a frente ou se recuasse? Face a tamanha confusão, todos tentaram ajudar! Os motoristas dos outros veículos, as pessoas que passavam... e até a polícia foi chamada! Porém, quanto mais tentavam mover o veículo, mais preso ele ficava. O tempo foi passando sem que se encontrasse uma solução que não envolvesse estragos e custos. Finalmente todos concordaram que a única solução seria cortar a parte superior do atrelado e foram então buscar as ferramentas necessárias. Quanto mais o tempo passava, maior era a confusão...
Enquanto tudo isto acontecia, no meio da multidão um menino gesticulava e tentava dizer algo àqueles homens desesperados por encontrar uma solução. Eles apenas o empurravam para fora do caminho e até lhe diziam que fosse para casa e não atrapalhasse. Numa última e desesperada tentativa, gritou: "Ei! Experimentem esvaziar os pneus!" Os homens pararam e olharam para cima e depois para baixo, para os enormes pneus. Essa poderia ser a solução. E foi! Pouco depois, o camião estava livre e tudo se resolveu.

 

Estabelecer boas relações é muito importante para o nosso bem-estar. Porém, nem sempre é fácil conviver em comunidade. Principalmente quando existem diferenças significativas, como, por exemplo, a idade, o estatuto socioeconómico, a religião, entre outras. A realidade é que, muitas vezes, as diferenças afastam as pessoas!
Somos todos diferentes, e, por isso mesmo, é importante aprendermos a celebrar e a valorizar as diferenças, em vez de nos sentirmos diminuídos ou de rebaixarmos os outros.

(adaptação de um texto publicado na revista ZONA Y, de Maio/2011)

.
As imagens que ilustram os textos publicados neste blogue são seleccionadas, aleatoriamente, através do motor de busca Google. Agradecemos aos respectivos autores o enriquecimento visual que os seus trabalhos proporcionam e, se não divulgamos a sua origem é porque, na maioria dos casos, a mesma é, para nós, desconhecida. Para salvaguarda dos direitos de autor, estamos à inteira disposição dos eventuais lesados, para revelar a identidade do criador das fotos e/ou desenhos publicados. Observador@