.

SÊ A MUDANÇA QUE QUERES VER NO MUNDO!
.
.

Arriscar e Vencer

Publicada por Observador@

Em certa aldeia do Benin vivam três rapazes que andavam sempre tristes. Parecia que tudo lhes corria mal na vida. Eram os três muito pobres: um possuía apenas um remo, o outro uma flecha espalmada em forma de lâmina e um arco, e o terceiro só tinha um turbante. No entanto sonhavam com uma vida rica, com tudo quanto é de bom, para poderem fazer o que lhas apetecesse. Mas sentiam-se angustiados, pois tudo não passava de um sonho. Achavam-se incapazes de fazer o que quer que fosse. E ficavam sempre à espera que fossem os outros a fazer por eles.
Um dia, um ancião da aldeia, homem de grande sabedoria, decidiu ajudá-los. Queria que eles percebessem que, mesmo sendo pobres, tinham muito valor. Por isso, lançou-lhes um desafio. Conduziu-os até um rio, que era muito fundo e disse-lhes:
- Deveis atravessar o rio para o outro lado, usando apenas o que tendes.
Ficaram muito apreensivos e interrogavam-se:
- Como podemos atravessar um rio tão fundo, se não sabemos nadar?
Passado pouco tempo, um deles encheu-se de coragem e disse aos companheiros:
- Se o velho sábio nos mandou atravessar o rio, é porque somos capazes. Cada um fará o seu melhor e vamos vencer. Decidido a dar o exemplo aos outros, foi à procura de um tronco, lançou-o à água, sentou-se em cima dele e, com o remo, começou a remar. Chegado à outra margem, cheio de satisfação, começou a incitar os companheiros para também tentarem a travessia.
O segundo, depois de pensar um pouco, viu que do outro lado do rio havia uma árvore muito alta, de tronco fino. Pegou na sua flecha e fez pontaria para a árvore. Esticou o arco com toda a força e atirou a flecha que bateu certeira no alvo. A árvore cortada pelo tronco caiu e ficou atravessada entre as duas margens. Correu então por cima dela e atravessou o rio.
Os dois puseram-se a chamar pelo outro colega. Este ganhou coragem e tirou o turbante, que era feito com uma tira de pano muito comprida. Atou-lhe uma pedra na ponta e deu-lhe um nó de correr. Depois, encheu-se de força e atirou a ponta do turbante para a outra margem conseguindo que o nó se prendesse ao ramo de uma árvore. Atou a outra ponte a um tronco da margem de cá e, agarrando-se pelo turbante conseguiu também ele atravessar o rio.
Os três abraçaram-se muito contentes e satisfeitos por terem conseguido vencer o obstáculo.
Do outro lado do rio, o sábio sorriu e disse-lhes:
- A vida é como um rio: quem arrisca e usa os recursos que possui, consegue sempre vencer.
.

.
As imagens que ilustram os textos publicados neste blogue são seleccionadas, aleatoriamente, através do motor de busca Google. Agradecemos aos respectivos autores o enriquecimento visual que os seus trabalhos proporcionam e, se não divulgamos a sua origem é porque, na maioria dos casos, a mesma é, para nós, desconhecida. Para salvaguarda dos direitos de autor, estamos à inteira disposição dos eventuais lesados, para revelar a identidade do criador das fotos e/ou desenhos publicados. Observador@